terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Atividade física também trabalha o cérebro

É isso mesmo, caros colegas leitores, a atividade física ajuda a trabalhar, também, o cérebro! 
Saiu, neste domingo, no Jornal Folha de São Paulo, uma matéria sobre a importância da atividade física para manter o bom funcionamento do cérebro. Mas como isso acontece? Comprovadamente, a atividade física melhora o sistema cardiovascular, impedindo a degeneração dos neurônios (que são espécies de pontes por onde passam as correntes elétricas que coordenam toda nossa atividade cerebral). Mas, vamos pensar um pouquinho mais... 
Quando estamos, por exemplo, fazendo musculação, temos que lembrar como executa tal exercício, qual exercício que vem na sequência, contar enquanto executamos. Tudo isso ajuda o cérebro a trabalhar, afinal, ele vai estar sendo ativado em vários momentos da atividade. Nas aulas de ginástica, o(a) professor(a) fala o nome do movimento e você tem que lembrar qual é o movimento, tem que acompanhar os passos, acompanhar o ritmo da música, coordenar movimentos de braços e pernas. Nos esportes tem os posicionamentos em campo, em quadra, os movimentos, contar as voltas na piscina, etc. 
Principalmente para as pessoas mais velhas, que começam a perder um pouco da atividade cerebral, ficando mais "esquecidas", a atividade física, além de melhorar suas atividades funcionais do dia-a-dia, ajudam o cérebro a não deixar de trabalhar, a estar sempre se "exercitando". 
Viram? Fazer atividade física auxilia no bem estar não só do corpo, mas, também, da mente. Bóra se exercitar, galera!

Folha de São Paulo, Caderno Saúde, Edicação de 26/02/2012, página C12.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Fibras musculares, elas trabalham, mas também precisam de descanso.

Olá pessoal! Passado o Carnaval, bóra começar o ano no Brasil, né?  Pra começar, vamos conhecer um pouquinho dos nossos músculos? Vou apresentar pra vocês as fibras musculares, ou seja, as fibras que fazem parte dos nossos músculos e suas funções.
Podem-se dividir as fibras musculares em 3 tipos principais:

* as do tipo I, que são de contração lenta, ou seja, são utilizadas para atividades de resistência, atividades aeróbias, com duração por tempo prolongado, que exigem grande consumo de oxigênio, como maratonas, corrida, ciclismo, natação de grande distância, etc.
* as do tipo IIa, são chamadas intermediárias, mas enquadram-se no grupo das de contração rápida (tipo II), pois são uma espécie de "combinação" entre as do tipo I e II b, tem contração moderada a alta e utilizam tanto o sistema aeróbio quanto o anaeróbio para produzir energia.
* as do tipo IIb, que são de contração rápida, das atividades anaeróbias como musculação, corrida e natação de curta distância, etc.

Retirado do livro de Powers & Howley - Fisiologia do Exercício, p. 138.
Um corredor de curta distância (100m), por exemplo, tem um número maior de fibras de contração rápida (tipo II) na composição dos seus músculos enquanto os de longa distância (maratonas), contém número mais significativo de fibras do tipo lenta (tipo I) .

Mas, afinal, pra que saber isso? Fácil. Se você está querendo iniciar em algum esporte de forma competitiva, é bom conhecer para poder entender os tipos de treinamento a serem feitos e o que melhorar. Para quem faz musculação, por exemplo, e realiza treinos de hipertrofia (aumento da dimensão do músculo, aqueles e aquelas que querem músculos maiores) há muito tempo e não vê mais aumento ou diferença nas medidas corporais, pode ser que suas fibras de contração rápida, usadas da hipertrofia, tenham alcançado uma estagnação, ou seja, "estão cansadas de trabalhar sem descanso", afinal, todo mundo merece férias, não? =D Neste caso, seria interessante um intervalo, a cada 2 meses mais ou menos, nos treinos de hipertrofia e realizar treinos de resistência, para que suas fibras de contração lenta entrem em ação, trabalhem e deem descanso às de hipertrofia (contração rápida). Esse intervalo pode ser de 15 a 20 dias, mais ou menos. Diminua bem as cargas e realize séries com 15 a 20 repetições. Depois, volte ao seu treino de hipertrofia, mude alguns exercícios ou estímulos, assim suas fibras voltarão renovadas, com mais força e trabalharão melhor. Fácil, não? Nossos músculos são como empresas e suas fibras os funcionários. Precisam de folga para renovarem suas forças e trabalharem melhor. Pense nisso! Converse com seu/sua professor(a) de Educação Física e BOM TREINO!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

MEXA-SE!

Esta é a chamada "Pirâmide da atividade física". Ela  mostra os tipos de atividades que podemos fazer  e quantas vezes na semana. Claro que ela é somente um referencial, pois atividades físicas podemos fazer todos os dias, não é? Mas, alguns hábitos podem ser mudados para que nos tornemos menos "parados" e nos mexxamos mais como subir escadas, ir a pé a algum lugar quando próximo, em vez de pegar o carro, passear com seu(s) cachorro(s), lavar o carro, entre outras. O importante é não acomodar na preguiça e mexer-se!


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Quando não vemos mais resultados...

Olá, pessoal! Muitas pessoas, depois de algum tempo de atividade física (depois de meses ou alguns anos), reclamam de não perceberem mais resultados, ou seja, parece que tudo "estacionou". Você não emagrece mais como antes, não consegue "crescer" mais, não aumenta mais de peso, etc. 
Claro que são muitos os fatores que fazem com que aconteça essa "estacionada" nos resultados, mas a adaptação do corpo aos exercícios é um dos principais. A adaptação aqui é quando o corpo já "acostumou" com determinados estímulos (tipo de exercício, carga de trabalho, entre outros), então, não produz mais os efeitos que produzia no começo. Sabe quando você sobe uma ladeira pela primeira vez e quase morre sem fôlego e ainda fica com dor nas pernas depois? Suba ela todos os dias e não sentirá mais nada depois de algum tempo, pois seu corpo estará acostumado com aquele estímulo, aquela situação. Assim funciona com TODA atividade física. Se fizer os mesmos exercícios de musculação a vida toda, uma hora não produz mais efeito, pois o corpo entenderá que aquele movimento é comum, não produzirá mais mudanças. Se começou a caminhar para emagrecer, quando o corpo sentir que a caminhada é uma rotina na sua vida, você não vai conseguir perder peso como no início. Enfim, é neccessário, SEMPRE, estimular o corpo de formas diferentes para que os resultados aconteçam sempre.
Quem começa a fazer uma atividade física, seja ela qual for, saindo do chamado sedentarismo, percebe resultados muito rápidos (se não tiver qualquer problema de saúde que impeça que os resultados apareçam, claro). Mas, depois de algum tempo praticando a mesma atividade, esses resultados serão mais lentos e aqueles, por exemplo, 5 kilos que se foram em 3 meses, levarão 6 meses ou mais para desaparecer. Caminhar mais rápido, mudar os locais de caminhada, caminhar por locais que tenham subidas ou descidas leves, são métodos de modificar e intensificar essa atividade e continuar promovendo os resultados desejados. Isso serve para qualquer atividade.
Pra quem faz musculação e não percebe mais mudanças, tá na hora de mudar seu treino. Estas mudançass podem ser na quantidade de séries, repetições, na mudança dos exercícios, etc. Importante é não deixar o corpo acomodar. De tempos em tempos é bom mudar alguns exercícios realizados para que seus músculos recebam novos estímulos. Seu/sua professor(a) de Educação Física é quem poderá fazer essas mudanças para que seus resultados voltem a aparecer ou não deixem de aparecer.

No próximo post falarei sobre os tipos de fibras que constituem nossos músculos e como elas influenciam nas atividades que fazemos.

Saia da rotina,  mude um pouco suas atividades, mantenha uma alimentação balanceada, durma bem e os resultados continuarão sendo muito satisfatórios. =D


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Enjoada(o) da academia?

Chegam certas épocas do ano em que algumas pessoas perdem o interesse pela academia. Seja porque está calor demais, porque está frio demais, porque voltaram as aulas, o trabalho, ou seja, há desculpa de monte pra não treinar =). Manter uma atividade constante numa academia não é fácil, exige disciplina, força de vontade, regularidade, etc. Mas, o que fazer quando aquela atividade que praticamos já não está mais nos agradando como antes ou não está mais dando o resultado desejado? 
As mulheres, por exemplo, "enjoam" mais rápido da musculação, principalmente quando começou a fazer junto com alguém (amiga(o), parente, etc) e essa pessoa deixou de ir, ou porque caiu na rotina e está achando "chato" sempre estar no mesmo lugar, fazendo os "mesmos" exercícios. No caso de sua companhia não ir mais, não perca o ânimo e lembre-se que sua saúde não depende da sua companhia e, sim, da sua vontade, continue indo. 
A musculação é "quem" mais sofre esses abandonos por ser metódica e repetitiva, mas há diversas maneiras de treinar musculação. Se você acha chatíssimo denscansar entre as séries, porque é uma pessoa muito agitada, tente um treino em circuito, combinado, sem denscanso. Converse com seu/sua professor(a) de Educação Física e explique o que está sentindo para que vocês possam adequar o treinamento à sua rotina (falta de tempo, cansaço em excesso ao final do treino, etc) e para que o treino possa ser o mais dinâmico e prazeroso possível. Frequente aulas de ginástica, pilates, alongamento, abdominais, ou o que tiver disponível na academia para mudar um pouco a rotina de treino e tirar o corpo da acomodação. Alterne as aulas com a musculação. Converse com seu/sua professor(a).
Para aqueles que não percebem mais resultados. Primeiramente precisa-se verificar se realmente não está mais havendo resultado ou seus olhos que não os veem mais =D. Avaliação e reavaliação física são ótimas para essas verificações. Após isso, converse com o(a) professor(a) e explique que não percebe mais resultados para que, juntos, possam modificar o método de treinamento, os exercícios, a forma de execução, etc. 
Pra quem não gosta de exercícios aeróbios como esteira, bicicleta, faça aula de dança, natação,  de ginástica (jump, aeróbica, step, etc), mas não deixe de fazê-los, principalmente quando seu objetivo for perder gordura.
Não faça a musculação ou qualquer outro exercício simplesmente por fazer, busque motivação, seja ela emagrecer, diminuir dores, melhorar sua rotina do dia a dia, desestressar, conhecer pessoas novas. O mais importante é manter a regularidade, principalmente no inverno. Saibam que no inverno, por causa das baixas temperaturas, o corpo queima mais calorias =D. Alimente-se bem e não perca o ritmo! Você verá que os resultados, a longo prazo, são muito maiores que somente estéticos, a saúde agradece!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Quantos abdominais fazer para perder a "barriga"?

Muitos já devem ter feito essa pergunta pro(a) professor(a) da academia, pra um conhecido que treina, ou pra si mesmo(a). Então, vamos, primeiramente, conhecer os músculos que estão por trás da nossa "barriga", os músculos abdominais.




Estas são as porções maiores dos músculos abdominais: reto, oblíquos interno e externo e transverso do abdômen. O músculo reto é aquele que nós "vemos", principalmente nos homens e mulheres com corpão "sarado", os famosos "gominhos". O oblíquo fica nas laterais e divide-se em externo e interno. O externo fica "por cima" do interno. O transverso fica embaixo deles e fazem parte da camada menos superficial dos músculos.

Para "trabalhar" esses músculos fazemos os já conhecidos exercícios abdominais. Mas somente esses exercícios não são suficientes para acabar com aquela barriguinha saliente. Quando queremos "perder a barriga" ou "secar", queremos, na verdade, diminuir a quantidade de gordura corporal localizada naquela região do abdômen e pra isso temos que fazer exercícios aeróbios. Exercicíos aeróbios são aqueles praticados por determinado período de tempo (relativamente longo) e de forma constante como andar de bicicleta, caminhar, correr, nadar, etc. Esse tipo de exercício (aeróbio), utiliza os carboidratos e as gorduras (nesta ordem) em sua execução , portanto, para queimar as gordurinhas devem ser feitos exercícios aeróbios, mas, também, combinar com os exercícios abdominais para deixar a musculatura fortalecida e "durinha". Os abdominais ajudam a queimar calorias também, mas somente com a junção deles com os exercícios aeróbios, por meia hora, por exemplo, que conseguimos alcançar o objetivo de mandar embora aquela barriguinha tão indesejada. 
Mas é bom lembrar que os músculos do abdômen são iguais a todos os outros do corpo, ou seja, se trabalhados num dia precisam descansar no outro. Faça exercícios abdominais em dias alternados para obter melhores resultados. Executar de forma correta e numa velocidade adequada é essencial. Peça orientação ao professor ou professora de Educação Física de sua academia =D.
Não esquecendo, CLARO e SEMPRE, que a alimentação também é muito importante para ajudar nesse resultado. Evitar frituras, gorduras e doces (o que inclue, também, os refrigerantes) faz com que os resultados apareçam mais rapidamente. =D


Apresentação =D

Antes de tudo, apresento um pouquinho da história que me trouxe pra Educação Física =D É rápido, eu prometo! =)

Comecei a frequentar a academia, como muitos e muitas, por obrigação. Como a maioria das mulheres (e muitos homens também), "precisava" emagrecer. Comecei a gostar das aulas de ginástica, conheci as aulas da Body Systems, me apaixonei por Jump (mini trampolim) e Body Attack (aeróbica! Sim, aquela das polainas e colãs que pareciam maiôs). Mudei de academia, conheci professores e professoras de ginástica, fui me aproximando da área e gostando da coisa. Cinco anos depois de formada em Tradução e Interpretação - Inglês/Português, resolvi fazer Educação Física pela total paixão pela área, primeiramente, de ginástica. Assim cheguei na 2ª faculdade.

Na faculdade ajudei os colegas que não sabiam nadar, dávamos (eu e alguns colegas) aulas de natação pro pessoal da sala. Fui monitora do laboratório de Anatomia (sou fissurada em Anatomia =D) por alguns semestres e, nos 2 últimos anos da faculdade, fiz estágio na Educação Física escolar e trabalhei na academia Arqui Fitness Center, do Colégio Arquidiocesano, na Vl. Mariana. Algumas experiências muito válidas! Trabalhei com alunos e alunas do colégio, seus pais, mães, avós, avôs, pessoas de fora do colégio que nos procuravam em busca de melhor qualidade de vida, para "curar" dores, melhorar suas funções do dia-a-dia, etc. 

Neste blog vocês vão encontrar dicas e textos sobre saúde, atividade e exercício físico e tudo que os envolve. Espero que gostem, discutam, ponham em prática, revejam conceitos e, principalmente, aproveitem os textos!